Reportagens

PostHeaderIcon Reportagem na TV PAnorama sobre cães guias.

Dicas de Comportamento

Matéria ao vivo para dar dicas de comportamento

Patrícia Aguiar e Luiz Cesar de Sá
Patrícia Aguiar e Luiz Cesar de Sá

Reportagem feita pela TV panorama com a repórter Patrícia Aguiar.  O tema da reportagem foi os cães guia entre outros assuntos falei  sobre a importancia de aumentar as ongs que cuidam gratuitamente de ceder cães guias para deficientes visuais aqui no Brasil,por que fica muito caro comprar um cão já treinado e ainda tem a socialização do cão com o deficiente que seria outro gasto com um instrutor especifíco.

PostHeaderIcon Nova Lei para Cães

No dia 14/02/08 a TV Panorama realizou uma reportagem sobre a nova lei para cães, com a participação da LC Adestramento.

Repórter Sérgio Rodrigues

PostHeaderIcon Personal Dog

No dai 03/03/07 a TV Panorama realizou uma reportagem sobre o trabalho de Personal Dog, desenvolvido na LC Adestramento.

Clique aqui para saber mais sobre o Personal Dog

Luiz Cesar e equipe da TV Panorama

PostHeaderIcon Adestramento de cães

*colaboração

11/08/05

Pular em você e nas visitas, roer os móveis, latir o tempo todo e te levar para passear são algumas características do seu cãozinho? Cachorros são animais alegres e cheios de vida, mas isso não significa que incomodar e envergonhar o dono seja normal e aceitável. Uma boa solução para esses incovenientes é o adestramento. A técnica educa os animais e melhora a comunicação entre os donos e os cães, de forma que um pode entender o outro.

Para o adestrador Luiz César de Sá (foto abaixo), que está no ramo há 25 anos, uma das principais causas da desobediência dos cães é a falta de limites e liderança. Luiz explica que o dono deve mostrar quem é o líder, quem manda (com autoridade e carinho, sem violência) e apresentar os comportamentos que agradam ou não no animal.

“Um cachorro que sai roendo tudo, bagunça a casa, faz xixi por todo lado, faz isso porque acha que todo o espaço é seu e assim quer demarcar o seu lugar. Quando sai para passear, é ele quem leva o dono, decide aonde ir, quando parar. O animal se sente o líder, o dono do dono”, conta o adestrador.

Através de comandos ditos com voz firme, como senta, deita, vem ou aqui , não pula, não morder e andando junto, o cão reconhece o seu lugar, o dono se firma como liderança e é estabelecida uma relação agradável.


Além da educação, o adestramento também pode ter como objetivo a defesa patrimonial e as exposições. Para se apresentar em uma exposição, o cão deve ser treinado para realizar atividades específicas para a competição, como ficar sentado e andar por um determinado lugar. Já na defesa patrimonial, o cachorro é adestrado para proteger a casa através de latidos que chamem a atenção dos donos.

“Não aconselho técnicas que ensinem o cão a ser violento, como pegar o braço, por exemplo. Acredito que o melhor seja educar o animal para que ele alerte o dono que algo estranho está acontecendo”, explica Luiz.

Luiz César diz que o ideal é começar o adestramento do cão a partir do sexto mês de vida, pois todas as vacinas já foram aplicadas e os dentes já nasceram.

“Se o cão vai competir, o adestramento pode começar quando ele tiver quatro meses, porque são comandos muito simples”, diz.

O período médio de treinos é de três ou quatro meses, dependendo da idade, raça e personalidade do animal. Sá lembra que cachorros mais velhos também podem ser educados, mas o tempo gasto será mais longo.

Nos primeiros 15 dias de treino, o adestrador faz uma avaliação do animal e pede aos donos que preencham um questinário com aproximadamente 50 perguntas.

“Preciso saber, por exemplo, se o cão tem medo de água, se ele dorme sozinho, se tem alguém que bate nele. Só assim vou poder entender melhor porque ele tem um determinado comportamento e saber como educá-lo”, conta o adestrador.

Outro ponto importante é o acompanhamento dos donos. Nas primeiras aulas os proprietários não precisam participar, mas à medida que o cão vai compreendendo mais os comandos, a presença deles é indispensável para que o adestrador possa ensiná-los a usar corretamente as palavras com o tom de voz adequado para que o cachorro o obedeça.

Luiz Cesar lembra que um cão adestrado não vira um escravo, uma espécie de robô. Ele continuará espontâneo e alegre, mas de forma educada e agradável.

*Rita Couto é estudante do quarto período de Comunicação Social da UFJF

Site: http://acessa.com/infantil/arquivo/animais/2005/08/10-adestramento/

PostHeaderIcon Em sintonia com o melhor amigo do homem

Cachorros de qualquer raça ou idade estão aptos a receber ensinamentos. Aprática, além de auxiliar na segurança patrimonial, facilita a comunicação entre animal e dono.

Buscar os chinelos do dono, ficar de pé por vários minutos, fazer-se de morto ou atacar uma pessoa são algumas das prática acessíveis a todas as raças caninas e que podem ser assimiladas pelo animal em qualquer idade. Para tanto, eles devem passar por um treinamento feito por um profissional.
Adestrador de cães há 25 anos, Luiz Cesar, 43 anos, explica que o período de aprendizagem depende de cada animal. `Há raças que assimilam rapidamente. Aqueles de temperamento mais brincalhão absorvem com mais faciliodade, como o pastor alemão e o poodle`, informa.
Sá observa, ainda, que em muitos casos o tempo de apredizagem dos comandos depende do temperamento individual do cão.

Estágios de treinamento
Normalmente, o método de adestramento possui tres fases: introdução dos comandos, desenvolvimento e treinamento feito com o proprietário do animal. No adestramento básico, os cães aprendem a sentar, deitar, ficar sem sair do lugar, andar junto, além do comando `stay´ (ficar, utilizado também em provas de exposições), assim como é o comando cumprimentar, andar de rastro, em pé, etc. No adestramento avançado, o cão é treinado para guarda (ataque e defesa) o profissional acrescenta que, para fazer o treinamento, é preciso uma avaliação de 15 dias. `Passamos um questionário ao dono com o objetivo de saber como é o comportamento e o convívio do animal com a família, desde filhote. A partir desta análise será possível descobrir se o cão possui algum desvio e se está apto a aprender`. O método de adestramento envolve a combinação de fatos com voz. `Fala-se com o cão e mostra-se o se quer. Assim ele aprende por memorização`. Ao contrário do que muitos pensam, Sá afirma que todos os cães podem ser adestrados, até mesmo um pitbull. `Na maioria dos casos o cão é o reflexo do dono. Ele reage com agressividade ou com doçura conforme o tratamento recebido`. Além dos maus tratos, a genética interfere no comportamento agressivo do cão. `Um cruzamento mal feito pode causar a degeneração da raça. Por esta razão, antes de aquirir um cão, o futuro proprietário deve conhecer os pais para saber se são violentos. O temperamento dos genitores transfere-se aos filhotes. É bom saber, ainda, se a raça e o comportamento do animal se enquadram ao perfil desejado pelo comprador`.

De acordo com Luiz Cesar de Sá, a procura por treinamento de cães para guarda tem aumentado nos últimos anos. `As pessoas tem preferido cães à segurança humana, porque os cães não dormem em serviço, e não são passiveis de corrupção, avisam antes de atacar e são fiéis ao dono.

Matéria publicada na Tribuna de Minas do dia, terça-feira 01 de junho de 2004